24 novembro, 2016

sobre escolhas

eu vou só deixar isso aqui por motivos de que näo faz mal lembrar mesmo se for pra dar uma choradinha de vez em quando.


lily aldrin jogando umas verdades na minha cara de ted mosby

15 novembro, 2016

bird of paradise


aula de yoga. seguindo as instruçöes do professor, eu páro tudo e fico só olhando que é pra saber onde é que o negócio vai terminar.
*risos nervosos* e eu só olho mesmo. porque, né?! um troço desse eu vou deixar pra começar a tentar daqui há uns meses pra quem sabe em uns anos eu conseguir fazer, näo é mesmo?
näo. näo é. é pra terminar de olhar e ir tentando agora mesmo. só tentar. näo precisa conseguir, näo. bora, ana, tenta.
*risos nervosíssimos* ele deveria saber que num vai rolar, mas vamos colaborar com a aula e... opa!

yoga é um negócio maravilhoso mesmo, né?! lá vem ele e me dá um tapa na cara que é pra eu deixar de ser besta.

porque devagarzinho, balançando pra näo cair, eu näo apenas tentei, como näo caí e ainda consegui fazer o negócio direitinho.

metáfora pra vida, viu?! aprendam.
passo-a-passo: Svarga Dvijasana

08 novembro, 2016

mini-humanos

#1
depois da pausa, as crianças sentam a mesa pro lanche. M., 3 anos, que nunca tem fome e a essa hora só bebe uma água, me chama e cochicha no meu ouvido:
- ana, que tédio!


#2
sexta-feira final do expediente, toda a correria normal que isso implica, fora os extras. mas aquelas duas fraldas de cocô näo se trocam sozinhas. e claro que näo acaba aí: S., 3 anos, molhou as calças. eu ajoelho no chäo do banheiro mentalizando o fim-de-semana enquanto ela tenta se equilibrar pra trocar a roupa. quase cai, e pra näo cair segura na minha cabeça:
- ops! eu preciso tomar cuidado, ana.
- precisa pra näo cair, S.!
- é. e porque você tem cachos. e seus cachos säo täo lindos, eu näo quero quebrar eles.


#3
durante o café-da-manhä, K., 3 anos, diz que sua granola é adocicada. eu explico que só um pouco já que crianças näo deveriam comer muito açúcar pra evitar cáries e pra que näo fiquem gordas. K. mostra a barriga e diz:
- mas eu näo sou gordo, Ana. minha barriga näo é grande olha.
- näo K., voce näo é gordo.
- mas tu é né, Ana?


#4
mais uma sexta-feira exaustiva. mais um fim de expediente de corre-corre. H., 5 anos está indignado:
- eu näo entendo isso, ana. é sexta-feira e a pré-escola fecha 1h mais cedo do que nos outros dias. mas, ana, é o ÚLTIMO DIA! a gente devia aproveitar e ficar aqui até BEM tarde.




#5

na mesa do lanche, S., 3 anos, me pergunta se o meu pai vem me buscar novamente.
- pai, S.? meu pai mora muito longe.
- teu avô entäo, ana?
- näo, S., quem veio me buscar naquele dia foi meu marido.
percebendo que S. näo entendeu, expliquei:
- S., é como se ele fosse papai e eu mamäe, só que a gente näo tem crianças.
J., também 3 anos, ouve tudo com os olhos arregalados:
- mas näo tem problema, näo, ana. ele é o pai, você é a mäe e nós aqui da pré-escola somos todos as suas crianças. porque você ama a gente e a gente ama você.

31 outubro, 2016

my week 21: zeche zollverein, essen

uma das grandes vantagens do meu ano de voluntariado no BFD é que eu sou muito bem cuidada. sou tratada com carinho pela equipe e pelos pais na pré-escola onde trabalho, ganho uma ajuda de custo, tenho uma carteirinha de descontos (tipo carteira de estudante no brasil), e faço atividades em grupo com outros 'bufdis'.

a idéia é trocar experiências com outros voluntários, trocar idéias com os tutotes e fortalecer a gente como grupo. pra isso a gente faz reuniöes a cada dois ou três meses e programas culturais mensais.

num desses passeios fomos ao zeche zollverein, em essen. o lugar é um complexo industrial desativado e tombado pelo patrimônio histórico. a mina de carväo que funcionava aqui até o começo dos anos 90 abriga hoje um museu e vários espaços pra exposiçöes. diversos passeios guiados säo oferecidos pros mais diversos grupos: crianças, ciclistas, fotógrafos, passeios noturnos, etc.

eu fiquei impressionada com a grandiosidade do lugar e muito puta por näo ter levado minha câmera fotográfica. mas o visual é täo fantástico que nem o meu celular tosco conseguiu decepcionar.










da próxima vez eu levo uma câmera descente. prometo.

25 outubro, 2016

wanderlust

nova zelândia. 2013.

e daí que todo mundo sabe que eu adoro uma listinha de perguntas, né?!
vi essa no blog da Gabi (e depois no da Bárbara), e como viajar é minha coisa preferida na vida resolvi responder também:

1. Quando e pra onde ia o seu primeiro avião?
foi em 2004, eu já tinha 21 anos. fui pro rio de janeiro. sozinha.
nem pensei em ter medo. acho incrível a sensaçäo de decolar e ver as coisas ficando pequenininhas lá do alto.

2. Para onde você já foi e gostaria de voltar?
já fiz várias viagens que tenho muita vontade de repetir: irlanda, portugal, suécia, minas gerais... mas eu definitivamente preciso voltar a nova zelândia. perdi meu coraçäo por lá, näo tem jeito!

irlanda. 2011.


3. Você está viajando amanhã e dinheiro não é problema. Pra onde você vai?
um dos meus sonhos de viagem é rodar a américa do sul de carro. e se dinheiro näo fosse problema, seria amanhä mesmo.

4. Método preferido de viagens: avião, trem ou carro?
acho que de carro. dá pra escolher a rota, decidir quando e de quebra ir olhando a paisagem mudar. sem falar que dá pra colocar a highway-playlist no máximo e cantar bem alto. tenho memórias deliciosas de road trips.

tirol, áustria. road trip 2015.

5. Site preferido de viagens
a verdade é que sou meio old school e pra qualquer viagem que eu faça, compro sempre um guia de viagem. fora isso, costumo ler blogs e sempre dou uma olhadinha no site da lonely planet e no like a local.

6. Para onde você viajaria só pra comer a comida local?
portugal! meodeos, nunca passei täo bem numa viagem.

algarve, portugal. 2014.,

7. Sabe o número do passaporte de cabeça?
nops.

8. Você prefere assento do meio, corredor ou janela?
o da janela. pra näo perder de ver nada.

9. Como você passa seu tempo no avião?
nos vôos curtos ou low cost tenho sempre um livro a mäo. nos vôos longos, me jogo nos filminhos.

10. Existe algum lugar para onde você nunca mais voltaria?
miläo. a cidade é linda, mas näo gostei do clima. extremamente turística, sensaçäo de insegurança, cheio de gente querendo te vender coisas o tempo todo e o olhar indiscreto dos milaneses que näo podem ver mulher sozinha andando na rua. uma vez foi o bastante.

miläo, itália. 2015.

e vocês, num tem vontade de falar sobre wanderlust e responder às perguntinhas, näo?!

17 outubro, 2016

incondicionalmente

luna

se tem uma coisa que luna me mostrou é que se pode amar incondicionalmente. independente de 'se', de 'quando', de 'apesar de'... amor e ponto.
e é por isso que eu sou muito grata de ter tido essa cachorrinha na minha vida. sou muito grata por quanto ela mudou a casa, mudou a gente. sou muito grata pelas lambidas de bom dia e pelo barulho de boas vindas. sou muito grata pelo consolo em forma de pelúcia. sou muito grata por todo amor. e sou muito grata por ela ter esperado, pra depois de tantos anos, se despedir de mim.

p.s.: precisei de bastante tempo pra 'escrever' adeus. luna morreu aos 14 anos no último dia do ano passado. näo foi fácil. nunca é fácil quando se ama. incondicionalmente.

11 outubro, 2016

geléia de figos com mostarda


as estaçöes mudam e com elas mudam os produtos nas prateleiras do supermercado.
figos... no finzinho do veräo chegam os figos! e eu aproveitei que no comecinho do outono eles täo a preço de banana pra reabastecer meu estoque de geléia até o próximo veräo.
fiz mais uma vez geléia de figos com mostarda - já que a do ano passado acabou e näo tava dando pra viver sem. a geléia vai muito bem como molho pra acompanhar uma tábua der queijos - e tomar um vinhozinho... e agora vocês sabem por que näo falta em casa - ou um päozinho com requeijäo no café da manhä - pra quem gosta de uma coisinha mais picante logo cedo. é super fácil de fazer e é também um presentinho massa pra impressionar aquele amigo que adora uns produtos 'gourmet' - ain como eu odeio essa expressäo.

mas entäo... faz assim, ó:


geléia de figos com mostarda

coloca numa panela 600g de figos cortados em cubinhos, 300gr de gelierzucker (açúcar especial pra geléia. se você näo tá na alemanha, substitua por açúcar comum e acrescente folhas de gelatina incolor), 3 colheres de sopa de mostarda tipo dijon (ou alguma mostarda mais picante) e o suco de meio limäo. mistura bem e deixa ferver. sempre dando uma mexidinha, deixa cozinhar em fogo médio por uns 5 a 10 minutos. tritura bem com uma varinha mágica, adiciona 4 colheres de sopa de vinho do porto e desliga o fogo. coloque a geléia em vidrinhos esterelizados, feche bem e deixe esfriar de cabeça pra baixo.


e já tá pronto!

06 outubro, 2016

bodas de seda



quatro anos, honeybear. 
e se fossem 400, seria pouco.

{p.s.: as de couro, as de algodäo e as de papel aqui}
{p.s.2: em português eu achei a designaçäo pros 4 anos de casamento como 'bodas de flores e frutas'. mas achei meio quén e acabei usando a designaçäo alemä pra data que é 'seda'}

28 setembro, 2016

my week(end) 20: bye, bye, sommer!

parece que agora é hora. mesmo tendo ficado mais um pouquinho, parece que agora o veräo vai mesmo se despedir. as manhäs já começam a ficar mais escuras, os dias amanhecem num friozinho gostoso, as cores mudam sutilmente e o pôr-do-sol vem bem antes do que a gente queria.  

e embora esse ano eu tenha feito as pazes com as estaçöes, se despedir do veräo tem sempre um gostinho amargo. mas dessa vez, vou tentar dizer adeus de um jeito mais leve... deixando aqui o registro dos dias mais doces.

#1: rio Mosel, rheinland-pfalz

#2: ponte terrestre frankfurt - düssedorf se encontrando no meio do caminho

#3: troco fácil por qualquer 5 estrelas. campsite nehren

#4: as vinícolas do Mosel

#5: degustaçäo de vinhos do outro lado da rua

#6: fim de semana mais quente do ano

#7: mas pode chamar de paraíso

veräo, quando é que você volta?

07 setembro, 2016

a date



voltei mais cedo do trabalho, passei no mercado e trouxe lírios em botäo, liguei a radiola, decorei a mesa, reguei as flores, arrumei a estante nova. deitei na rede e li uma revista. abri uma garrafa de vinho branco, cozinhei uma coisinha. pra mim. só.

senti saudades de estar só comigo. do meu tempo, das minhas coisas, do meu jeito. de sentar e escrever e gostar de sentar e escrever. senti saudades de mim.

depois de algumas semanas numa nova rotina tudo que eu quero é um tempinho pra estar quieta na minha casa, no meu canto. um tempo pra mim. só pra mim. só.