03 dezembro, 2008

Before Sunset

Agosto 23, 2006
Eu já falei do medo que tive quando soube que esse filme existiria…
O Primeiro, o meu filme preferido no mundo todo, é justamente preferido por ser palpável.
E é exatamente por ser palpável que contém todas as minhas projecoes românticas de pessoa extremamente racional e que apesar de sempre procurar insconscientemente o contrário, deseja o que é possível.
Pois é… tive medo da continuacao de um filme… exatamente porque ela acabaria com todas essas projecoes… faria do futuro algo concreto e da minha imaginacao algo abstrato.
E Before Sunset existe na sua locadora mais próxima - e também num dvd pirata gravado especialmente pra mim, mas que ficou com Chucka por obra do destino - mas é tudo uma grande farsa!
Como eu previa o filme é bom, mas nao pode ocupar em conjunto com o primeiro o título de “meu filme preferido no mundo inteiro” exatamente por ser impossível… e coisas impossíveis o nome já diz: nao sao possíveis.
Logo, Herr Director, entschulding aber… você fez uma besteira muito grande quando decidiu que Jesse e Celine deveriam ser filmados quando se reencontrassem 9 anos depois… porque pra mim eles já tinham se reencontrado e foi muito diferente! Foi muito melhor do meu jeito…
Mas meu jeito… bem… mesmo depois de apenas um ano, o meu jeito era também um jeito impossível.
Entao… é exatamente por isso… por de alguma forma querer o impossível… por isso que nao faco cinema. Mas, digo aos que fazem - por exemplo o Sr. Linklater - que na tela grande apenas o possível me encanta, mesmo que seja pra que eu deseje o impossível depois…

Nenhum comentário:

Postar um comentário