13 agosto, 2009

maternidade

näo fosse pela medicina, eu teria morrido numa crise de asma algumas semanas atrás. meus genes defeituosos fazem com que eu reaja demais contra pólem e pobres ácaros.

mesmo sabendo disso minha mäe sismou que quer por que quer um neto. filho do meu irmäo? claro que näo. meu. e eu posso ter mil argumetos satisfatórios contra a maternidade (a minha, pra que fique claro)... o contra-argumento dela é um só: eu quero, porque eu quero.

vejam bem, eu sou alérgica a polém e a ácaros... ele é alérgico a polém, ácaros, animais, insetos, produtos químicos, camaräo, nozes, e etc, etc, etc... entäo dá pra imaginar a cria?!

é por amor ao mundo, meine Dammen und Herren, e pelo bem da evolucäo que eu me abstenho dos poderes do meu útero. darwin ficaria orgulhoso da minha decisäo, certeza.

Um comentário:

  1. Sabe que você tem toda a razão? Conforme a ciência evolui, a humanidade involui. A título de exemplo, nos tempos de Jesus demorando no banho, não havia muitas pessoa míopes, pois as pessoas precisavam da visão para sobreviver, e poucas pessoas com má visão conseguiam viver e passar seus genes defeituosos pra frente. Com o advento da ciência, isso deixou de se tornar um empecilho à sobrevivência, e maus genes espalham-se por aí livremente.
    E assim caminha a humanidade!

    ResponderExcluir