04 agosto, 2011

um marinheiro alemão, por João Ubaldo Ribeiro

"O marinheiro alemão foi preso porque parou bêbado no largo da Quitanda, bem na hora do maior movimento do domingo de manhã, no desembarque do navio de passeio, tirou da barguilha aquela rola branca parecendo uma torebinha de queijo de coalho e deu uma mijadona no oitizeiro maior, sem nem se virar de costas para a maior parte dos presentes. Pode ser até que na Alemanha, o indivíduo usufrutue do direito de urinar na frente das senhoras e senhoritas, até porque se sabe que o gringo muito branco, de modo geral, tem por costume, toda vez que pode, ficar nu no meio dos outros, inclusive mulheres e crianças, deles ou dos outros. Mas isso é lá na terra deles, onde quem já foi diz que só faz sol um domingo por ano e o resto é gelo de quebrar as orelhas, porque aqui temos abastança de sol até demais e não somos adeptos desse negócio de ir sacando a estrovenga em logradouro público de respeito."
(João Ubaldo Ribeiro em Miséria e grandeza do amor de Benedita)

Doida pra ler Um brasileiro em Berlim... mas e vender que ninguém vende. Alguém empresta?

Um comentário: