08 maio, 2013

eu smartphono, tu smartphonas, ele smartphona


era 1876 quando Alexander Graham Bell inventou o telefone. mas já era 1997, quando essa modernidade chegou lá em casa. até lá sobrevivi recebendo recado da vendinha do outro lado da rua, enfrentando fila de orelhäo, e ligando assim "rapidinho" da vizinha. e näo morri por isso.

só depois de muita resistência comprei meu primeiro nokia-tijoläo em 2003 (ou seria em 2004?). ele e todos os seus sucessores foram frequentemente esquecidos em casa, passaram o dia "mudos" depois de uma aula, ou foram simplesmente ignorados quando um número desconhecido chamava. e ninguém nunca morreu por isso.

mas aí inventaram esse tal de telefone inteligente e um mundo novo surgiu! fofocar a vida no whatsapp, receber email em "tempo real", twittar as frustraçöes na fila, instagramizar poesia de rua, ou matar o tempo no trem lendo as atualizaçöes dos blogs amigos... dessa vez näo esperei muito, näo resisti, e passei a viver meu dia-a-dia baseado num treco que (quase) cabe na palma da minha mäo. e olha, estou muito feliz com o meu vício.

quer dizer, estava. porque esse blá-blá-blá todo é só pra dizer que estamos aqui, tentando redescobrir o sentindo da vida, enquanto o smartphone-lindinho-de-mamäe passa duas semanas na assistência técnica. e - me julguem - mas estamos sim quase morrendo por isso.

6 comentários:

  1. Eu demorei a arranjar um smartphone (comprei o meu em Dezembro e apenas porque o meu Samsung antigo morreu) mas agora que estou habituada ninguém consegue me separar dele :) as viagens de transportes públicos nunca mais foram as mesmas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a gente näo compra um telefone, compra um vício!

      Excluir
  2. Eu ainda tô na fase dos 2003-2004 HAHHAHA

    Não gosto de telefone, fico me achando ridícula em falar sem olhar pra pessoa, sem ter um lugar certo pra olhar HAHAHAHHA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também näo sou chegada a telefonar... mas isso é o que eu menos faço com o danado do telefone ;)

      Excluir
  3. Eu demorei tambem... e hoje, se deixo meu "espertao" em casa sem querer me sinto pelada... hahahaha.... Decadencia!

    ResponderExcluir