21 dezembro, 2013

nova zelândia de carro: parte 3

... e pra terminar: 


Dias 14, 15 e 16: Abel Tasman Coast Track

sim, esse é um blog de família, e näo, näo vai rolar foto de biquini.
o abel tasman coast track é uma trilha de 51 km no parque nacional abel tasman, costa norte da ilha. é um dos nove great walks da nova zelândia e um pedaço de paraíso na terra. as estradas terminam onde o parque começa (dentro do parque há apenas um ponto acessível pra carros: totaranui), entäo pra chegar aqui você vai ter que usar um barco (há inúmeras empresas que fazem o serviço de water-taxi e levam os turistas de uma praia a outra) ou... andar.


a trilha é extremamente fácil (perfeita pra iniciantes) e passa por florestas semi-tropicais, riachos, cachoeiras, praias paradisíacas e pode ser feita entre três e cinco dias. em três dias foram cerca de 40km (de marahau a torrent bay, torrent bay a awaroa, awaroa a totaranui) de sol, e praia, e pássaros, e praia, e acampamento, e praia, e sol, e praia... definitivamente o ponto alto da minha viagem!

oi, pinguim!
voltamos de totaranui até marahau de barco, passeio que inclui visita a colônia de focas e encontro com pinguins nadantes (♥♥♥).

melhor.lugar.do.mundo

de volta a civilizaçäo passamos a noite num hostel em motueka.


Dia 17: Renwick


Bike2Wine
acordamos num domingo de sol, e depois de visitar uma feirinha dominical local, partimos pra renwick (150km daqui). a cidadezinha é a capital da regiäo de vinículas do país, meca neozelandesa pra amantes de vinho.

alugamos duas bicicletas (porque né... "se beber näo dirija") e pedalamos a tarde de uma vinícula a outra degustando vinhos... (e em boa parte das vinículas) de graça!

passamos a noite no lodge mais fofo do mundo!


Dia 18: Kaikoura

Point Kean Seal Colony

deixamos renwick em direçäo a christchurch com o coraçäo apertado (viagem chegando ao fim...), e no meio do caminho nossa última parada: kaikoura.

a cidadezinha banhada pelo pacífico é conhecida por sua vida marinha. daqui é possível se avistar baleias (de barco ou helicóptero), chegar o mais perto do mundo de colônias de focas (minha gente, elas dormem no estacionamento!), ou experimentar o famoso churrasco de frutos do mar. ficamos com a variante dois, pois foi só o que deu tempo.

nos fim dos 320km: se despedir de amigos queridos em christchurch, e dizer adeus ao lugar mais incrível do mundo. tarefa impossível sem lágrimas.


Dia 19: Sydney


opera house: os arquiteto pira!
voar da europa até a nova zelândia näo é coisa pra se fazer num vôo só. e já que entre chegar em sydney e entrar no aviäo pra dubai haviam umas 10h, porque näo aproveitar pra dar uma olhadinha na cidade, né?

mas só deu tempo mesmo de passear pelo jardim botânico, almoçar no porto, dar uma voltinha de ferry boat... e ficar com vontade de voltar.


e acabou...

... as melhores férias do mundo.

pra ler a primeira parte, clique aqui.
pra ler a segunda parte, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário