31 dezembro, 2014

retrospectiva 2014

... ainda bem que tá quase no fim, viu?! 


janeiro começou com música. fevereiro teve bons drinks. mas foi mesmo em março, depois do carnaval, que o ano começou. na páscoa me fué a barcelona. maio foi tempo de reencontrar o passado, e rodrigo amarante, em berlin. em junho eu sumi, em julho eu me libertei e pouco depois eu gritei tetra. o haldern pop foi em agosto. o dia mais feliz em setembro. em outubro fui comer pastel de nata - e coxinha - em portugal. mamis e papis vieram finalmente em novembro me visitar. e em dezembro... eu apenas esperei o natal chegar (e passar). 

depois de um ponto final, 2014 foi um ano de muitas interrogaçöes. um ano em que me senti como um barco a deriva no mar... mas num dia de sol! 

que 2015 traga um porto. 

feliz ano novo pra vocês também!

25 dezembro, 2014

Ho Ho Ho!


um feliz natal pra vocês também!
p.s.: don't do drugs, people

21 dezembro, 2014

myweek(end) 14 - mercado de natal medieval

sou louca por mercados de natal! em telgte, uma cidadezinha aqui do lado, o "mercado das luzes" é uma feira medieval: com música, roupas típicas, fogueiras, hidromel, arco e flecha, cavaleiros, e uma vontade enorme de voltar no tempo!

#1: algum cavaleiro para uma távola redonda?

#2: casa de ferreiro...

#3: ... espeto de ferro

#4: tem hidromel - e visitantes vestidos a carácter - na tenda

 #5: um urso como alvo pro atirador de machados

#6: arqueira nata

#7: mais uma das tendas do mercado

e ano que vem tem mais... porque na minha vida passada eu morava numa torre e caçava dragöes!

12 dezembro, 2014

10 álbuns que marcaram a minha vida

semana passada a lídia, do na terra da lua virada, postou uma listinha com os 10 álbuns que marcaram a vida dela. adoro uma lista, nunca vivi sem música, e achei a idéia täo legal que imediatamente comecei a pensar na minha. tarefa difícil e prazerosa, que me fez ouvir (e cantar junto) coisas que näo ouvia há anos, me levando pra outros tempos. já que minha vida sempre teve trilha sonora e sempre tem um álbum de fundo tocando enquanto a vida acontece:

1. as quatro estaçöes, legiäo urbana. foi a primeira FITA CASSETE (i'm that old, bitch) que eu ouvi ativamente. a primeira vez que näo era o rádio ou um disco dos meus pais que tocava no meu player. e foi bem definitivo pra tudo quanto foi música que veio na minha vida depois. eu devia ter uns treze anos, e a fita foi um presente da minha melhor amiga da época, que tinha um irmäo mais velho que era fä da banda. foram tardes e noites na calçada com as amigas da rua em que a gente näo fazia nada a näo ser cantar legiäo. e as quatro estaçöes me leva sempre pra esse tempo... pro começo da minha adolescência, pros primeiros dramas, pras primeiras amizades eternas...


2. unplugged new york, nirvana. lembro da primeira vez que ouvi esse disco. acho que na oitava série ou no primeiro ano, no recreio da escola. achei a música instigante, nunca tinha ouvido nada do gênero e naquele momento um mundo novo todinho em inglês se abriu pra mim. engraçado é que näo lembro de ter ouvido muito o álbum... nunca tive sequer uma cópia. mas numas das inúmeras madrugadas de MTV, gravei uma FITA DE VÍDEO (yes, bitches) do especial e assisti tantas vezes que perdi as contas de quantas me apaixonei pela barba mal feita e o cabelo sujinho do kurt. ainda hoje é um dos meus álbuns favoritos... que eu escuto junto com o marido (o CD é dele. comprado na mesma época em que gravei a fita de vídeo ♥♥♥ )



3. placebo, placebo. olha, minha geraçäo foi a última da idade das trevas musicais, viu?! num tempo onde discos eram caríssimos, rádios uma bosta e internet näo havia, era difícil proceder sendo amante de música alternativa. e o que nos restava? ligar a MTV a 1:00 da manhä pra assistir uma vez por semana  o kid vinil e seu lado B (sempre com o vídeo cassete preparado). e foi numa madrugada dessas que assisti o clip de nancy boy, do placebo. e tudo naquele momento me fez apaixonar: a estética dark do clip, a música, a performance divosa de brian molko. na mesma época a música também tocava no que viria a ser a minha discoteca favorita, a  non stop, uma festinha alternativa que rolava todo sábado em recife por uns oito anos. e é praí que placebo me leva. pras madrugadas dançantes, pro coturno no calor do nordeste, pras primeiras bebedeiras, pras melhores amigas, pro olho preto de rímel... e é até hoje (depois de uma pausa) uma das minhas bandas favoritas no mundo.


4. cordel do fogo encantado, cordel. já vou aqui dizendo que o álbum em si, esse CD que você compra e bota pra tocar näo é legal. cordel foi uma banda pra se viver de frente do palco! e foi uma era. näo sei quantos shows eu vi... só sei que foi o suficiente pra saber de cor näo apenas todas as músicas, mas também todos os poemas recitados com vigor por lirinha. cordel marcou as noites na rua da moeda, os melhores carnavais de recife, e me levou às aulas de percurssäo (ai que saudades da minha alfaia).


5. if you're feeling sinister, belle & sebastian. foi na faculdade no brasil que eu descobri belle & sebastian. uma das minhas melhores amigas era fä da banda e nunca entendeu como eu nunca tinha ouvido falar deles. e ela tinha razäo: foi amor (eterno e verdadeiro) a primeira nota. if you're feeling sinister foi o primeiro álbum que ~baixei~. e em épocas em que um download durava uma madrugada inteira, foi a trilha sonora dos chats das madrugadas e dos primeiros passeios pela blogosfera. é um disco que eu sempre "esqueço", mas que sempre redescubro e me reapaixono.


6. quatro, los hermanos. quatro é de 2005, o ano que eu decidi que sairia do brasil. eu era fä da banda e assistia a todos os shows (e olha que em recife foram muitos) desde 2002. entäo a turnê do quatro foi pra mim uma despedida (e coincidentemente pra banda também). näo é meu álbum favorito deles, mas é definitivamente o que mais me marcou. foi um ano que me despedi da minha vida antiga... e que por isso foi vivido täo intensamente. e foi também um ano em que eu planejava ansiosamente minha vida nova. e quatro foi o soundtrack desse ano täo cheio de emoçöes.


7. die reklamation, wir sind helden. foi a primeira banda alemä na minha vida... e é minha favorita até hoje. foi trilha sonora do meu primeiro ano por aqui. desse ano onde tudo era TÄO novo! lembro de pegar o encarte do cd e ler as músicas pra aprender a língua. lembro de näo entender. lembro de travar a língua. lembro de achar fascinante quando finalmente fazia sentido.


8. disco paralelo, ludov. sabe quando você escuta uma música e ela se encaixa perfeitamente no momento que você tá vivendo? e sabe quando é o disco inteiro? o disco paralelo foi a trilha sonora pro meu (quase) ano em viena, lugar onde eu me senti täo estrangeira, täo só, exilada. e era um disco inteiro sobre isso, um disco inteiro sobre saudades, um disco inteiro sobre fugir... um disco sobre o meu momento. que me confortou e me fez sentir menos só no mundo.


9. pablo honey, radiohead. radiohead é pra mim uma das bandas mais geniais do mundo, mas que nunca tinha sido soundtrack da minha vida. até o inverno de 2007/2008 quando eu redescobri o disco e era basicamente a única coisa que tocava no meu player (e vivendo sozinha num país estranho, o seu player é um negócio que toca muito). foi a época em que eu tava organizando a papelada pra voltar pra alemanha, morrendo de saudade do meu alemäo, e de saco cheio daquela cidade! "What the hell am I doing here? I don't belong here". era creep que eu tava ouvindo na fila da embaixada quando finalmente recebi meu visto: um dia feliz. "You're so ****in' special" anos mais tarde era creep parte importante da trilha sonora do meu casamento: um dia mais que feliz.


10. cançöes de apartamento, cícero. eu cresci ouvindo música brasileira... e sempre fui apaixonada. mas depois de alguns anos vivendo fora do brasil minha relaçäo com a música brasileira esfriou. acho que de 2007 a 2012 eu näo ouvi mais nada de novo e andei meio sem paciência pras coisas velhas. até que uma amiga me apresentou ao Cícero... e foi como um reencontro. por mais que se domine uma língua estrangeira, nunca vai ser igual se deliciar com sutilezas na nossa língua mäe. cícero trouxe esse gosto de volta. além disso, ele é pra mim uma espécie de marco. cícero é um pedaço de brasil que näo tem referência com o meu passado. é um brasil que vive - porque eu decidi deixar viver - comigo no presente.


olha, eu tenho que agradecer a lídia e recomendar você a fazer a sua listinha também... porque foi täo bom que eu já tô querendo outra!

09 dezembro, 2014

do tempo...

Innisfallen Abbey . Irlanda

eu tenho amiga que fala em botox desde os 25. tenho amiga que fez plástica. tenho amiga que aos 30 usa cremes pra pele de 60. tenho amiga que näo comemora mais aniversário.

e eu nunca vou entender essa loucura.

eu gosto das marcas na minha mesa de madeira. dos arranhöes no meu sapato. das ruínas de uma catedral numa ilha no meio de um lago. daquela linha que aparece se eu sorrir na frente do espelho.

säo rastros do tempo. säo marcas da vida.

e näo é que eu deixe o tempo consumir a vida. passo óleo na madeira, cera no sapato, corro, faço ioga, tomo chá verde... e uso meus creminhos.

mas nunca vou entender essa paranóia. nunca vou entender esse medo da vida.

03 dezembro, 2014

mix number four: Last Christmas I gave you my heart

nada como trabalhar durante o ~natal~, numa loja que vende artigos de ~natal~, pra cagar com a magia do SEU... ~natal~.

mas, respiremos fundo, e tentemos salvar o espírito natalino desse grinch malígno das trevas com um playlistizinho lindo feito com músicas ~de natal~ felizes pra (finalmente) entrar no clima:

#1 Have Yourself a Merry Little Christmas - She & Him
#2 hallelujah - damien rice
#3 white chritmas - bad religion
#4 God Rest Ye Merry Gentlemen - Bright Eyes
#5 Sleigh Ride - She & Him
#6 greensleeves - loreena mckennitt
#7 litle drummer boy - Bright Eyes
#8 silent night - lisa hannigan