09 dezembro, 2014

do tempo...

Innisfallen Abbey . Irlanda

eu tenho amiga que fala em botox desde os 25. tenho amiga que fez plástica. tenho amiga que aos 30 usa cremes pra pele de 60. tenho amiga que näo comemora mais aniversário.

e eu nunca vou entender essa loucura.

eu gosto das marcas na minha mesa de madeira. dos arranhöes no meu sapato. das ruínas de uma catedral numa ilha no meio de um lago. daquela linha que aparece se eu sorrir na frente do espelho.

säo rastros do tempo. säo marcas da vida.

e näo é que eu deixe o tempo consumir a vida. passo óleo na madeira, cera no sapato, corro, faço ioga, tomo chá verde... e uso meus creminhos.

mas nunca vou entender essa paranóia. nunca vou entender esse medo da vida.

10 comentários:

  1. eu super concordo com voce! Eu tambem nao entendo as pessoas que escondem a idade, quando deveriam se orgulhar de já terem tido tempo na vida pra fazer tantas coisas, acumular tantas experiencias... E sobre fazer plástica, ai, vai, nao vou nem comentar. Ainda bem que aqui na Alemanha tudo vai bem mais além do que a estética.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. realemente a gente tem sorte, karla. no quisito näo-nóias com estética a alemanha ganha muitos pontos!

      Excluir
    2. é uma loucura cultural... tenho que admitir que quando ainda estava no brasil nao achava absurdo colocar botox e silicone... até faria uma lipozinha para tirar aquele micro pneu que nao sai com duas horas de academia por dia... mas a alemanha me abriu os olhos e sou grata por isso. acontece que sao padroes diferentes. parecer ter a idade que se tem nao é algo feio aqui, mas no brasil (quase sempre) é.. complicadinho...

      Excluir
    3. cara, o povo vai pra faca por nada... é perigoso também! ninguém tem mais paciência pra se alimentar corretamente e praticar exercícios... vai direto pra lipo. isso me assusta!

      Excluir
  2. Nossa, é bem isso, também não entendo essa corrida louca contra o que é natural...

    ResponderExcluir
  3. Eu sinto pena de quem tem medo do tempo, pois é uma batalha perdida, nossas células começam a envelhecer a partir do momento em que saímos dos ventres de nossas mães e não há o que fazer quanto a isso.

    Eu tento viver o máximo possível, aproveitar a vida, experimentar... Assim, minha experiência vai combinar direitinho com as minhas rugas e cicatrizes, em um todo, harmônico. :)

    Beijos,
    Lidia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. viver, aproveitar, experimentar... tudo deixa marcas. pra que querer apagar isso, meodeos?!

      Excluir
  4. assinando embaixo. tenho nervoso quando me vem algum com o elogio "nooosssa! você nem parece que teve filho...!" péra lá amigo... tive filho sim e tenho orgulho de cada marquinha que isso (e o que veio antes disso...) deixou. esse povo de capa de revista não tem história pra contar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. as marquinhas que deixam a gente ser a gente... ainda mais lindas!

      Excluir