03 fevereiro, 2015

frau fragezeichen


sempre fui uma pessoa racional. sempre tive objetivos pra minha vida e tracei planos pra chegar até eles. é só assim que eu sei ser. e é só assim que funciono bem.

e há tempos - e pela primeira vez na vida - já näo traço planos... já faz tempo que näo vejo objetivos. e eu näo sei ser assim. é pane certa... näo funciona!

preciso de um emprego. mas qual? quero mudar de cidade. mas pra onde? penso em fazer uma especializaçäo/mestrado. mas em quê? ou talvez uma nova faculdade? mas por que? talvez realmente mudar de ramo. mas pra que lado? ou quem sabe só me deixar levar. mas até quando?

eu. trinta e um anos. e ainda näo sei o que vou ser quando crescer.

16 comentários:

  1. Ai Ana, sei como é isso, ficar meio perdida na vida sem achar mutio sentido nas coisas. O que me ajudou em uma fase parecida foi encontrar uma "terapia". Voltei a estudar piano, sem pressão, só porque é uma coisa que eu gosto muito mas "nunca tinha tempo". Comecei a passar horas e horas na frente do piano de pijama sem pensar em mais nada e sem me culpar por isso( e a pilha de textos filosóficos para serem lidos me olhando), achei algo que me ocupava e me desestressava, porque eu já estava cansada de tentar arquitetar o fututro e ele parecer cada vez mais incerto. Mais tarde percebi que minha própria ansiedade era o que estava me matando!
    Só posso dizer - calma, vai passar! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é nisso que tenho tentado, meri. tem dias que funciona bem... tem dias que pero no mucho.
      mas tô com medo de virar a louca dos bolos!

      Excluir
  2. Você tocou numa parte de mim que eu não ando comentando sobre, até me inspirou... quem sabe vira um post? Só posso dizer que estamos juntas nessa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é bom saber que näo tô só no mundo, marcela =}

      Excluir
  3. Toca aqui o/
    Pois eu tenho 29 anos, tenho mestrado e agora nao sei o qur fazer da vida agora. Eu queria mesmo era sair viajando pelo mundo sem data pra voltar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. toco muito! \o
      "Eu queria mesmo era sair viajando pelo mundo sem data pra voltar. " é... eu também...

      Excluir
  4. Ana, eu acho esse sentimento normal. Tou aqui aos 27, beirando aos 28, e não faço a mínima idéia do que estou fazendo da minha vida... A única certeza que tenho é a de que quero ver o maior número de coisas possíveis e experimentar várias sensações. O resto é um tiro no escuro...

    Mas por outro lado, por mais que essa sensação de estar perdida pareça horrível, em dias de bom humor, eu fico pensando que é isso que nos move, sabe? Essa busca, essa esperança, essa vontade de fazer algo diferente que a gente ainda não sabe o que é... Sei lá, deve ser meio chato ter uma vida toda encaixotadinha, certinha, com começo, meio e fim bem definidinhos.

    Enfim, talvez eu só esteja vivendo um rompante de positividade neste momento, mas espero que você seja realizada nas suas buscas! :)

    Beijos,
    Lidia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. brigada pelo comentário, lídia. li com um sorriso no rosto.
      mas percebo mesmo que há dias e dias... as vezes essas incertezas me fazem bem, säo como um livro em branco cheio de possibilidades. as vezes eu surto.
      mas... o que "quero (mesmo é) ver o maior número de coisas possíveis e experimentar várias sensações" ;)

      Excluir
  5. Bem vinda ao barco, estou na mesma!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ain, mas vai ter que ser um navio pra esse tanto de gente ;)

      Excluir
  6. Respostas
    1. clube das pessoas perdidas batchi aqui \o

      Excluir
  7. ow, ana... eu já tinha lido o texto, só não tinha dado pra comentar. posso dar ctrl c ctrl v nesse post e colar no meu blog!? mesmo sentimento de inércia... indo indo sem saber pra onde. =(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e eu achei que era só eu no mundo, heli... =/

      Excluir