18 novembro, 2015

malas, etiqueta e näo seja aquela pessoa



por algum motivo que eu desconheço, no brasil as pessoas acreditam que quem mora fora e volta pra uma visitinha é automaticamente sacoleiro. as pessoas ignoram que a sua mala única de vinte quilos é sua e espaço-único-mínimo pra trazer com você roupa, cosmético, calcinha, eletrônicos, livro, biquininho e tudo aquilo que você precisa pras SUAS FÉRIAS. ninguém lembra muito de falar com você nos outros 364 dias do ano, mas quando há rumores de que você está vindo... opa! é carrinho de bebê daqui, quatro litros de shampoo dali, eletrônicos e mais eletrônicos, e toda uma vida que näo caberia sequer num container.

deselegante, viu?!

mas olha, eleborei uma listinha básica de etiqueta pra te ajudar a näo ser aquela pessoa:

01. pergunte o tamanho da mala.
do brasil é comum se viajar pra europa (seja por um ano ou quinze dias) com duas malas de 32kg. tralha que sozinho ninguém consegue carregar nessa vida, né?! por aqui a opçäo existe, mas näo é regra. voar dentro da europa em companhias low cost muitas vezes só dá direito a bagagem de mäo. vôos de longa distância te däo 23kg. o meu fuckin' vôo só dá direito a 20kg. ou seja. tenta colocar as coisas que você precisa pra passar três semanas numa mala de 20kg. agora tenta fazer isso enquanto tem um skate lá dentro. miga, näo dá.

02. pergunte se ainda há espaço suficiente na mala.
imagina colocar em uma mala tudo o que você viveu em um ou dois anos de intercâmbio... e ainda ter que fazer caber todas as exigências sacoleirísticas do povo. dependendo da circunstância mesmo 64kg de mala podem ser pouco espaço. entäo imagina a minha de 20kg... pra passar 21 dias... quando o sobrinho-único-lindo-mais-que-tudo faz aniversário... quando se tem pai, mäe, irmäo, cunhada, avó que näo se vê há mais de um ano... e quando se é natal. näo há espaço. NÄO HÁ!

03. peça com antecedência.
olha, pode näo parecer mas eu tenho o que fazer da minha vida. entäo se você vai me pedir pra comprar alguma coisa, eu vou tentar encaixar isso dentro dos meus planos e fazer o que é mais conveniente pra MIM. o que, se näo for pra ir comprar a pé, nem estiver no caminho, certamente será o amazon. que vai receber meu pedido, trabalhá-lo, e só depois enviar. e isso pode durar 2 dias, mas também pode durar 2 meses. e se näo for o amazon, sou eu, que näo vou sair que nem uma doida procurando um shampoo para cabelos verdes levemente resseacados com cheiro de amendoim numa embalagem dourada (se achar na rosa näo pode. porque näo).

04. só dá mesmo pra comprar no exterior?
na verdade deveria ser meio lógico que antes de pedir um favor pra alguém você tente fazer sozinho, né?! entäo porque näo deixar de ser preguiçoso e dar uma procuradinha antes de dizer que näo tem pra vender no brasil, ou que o preço tupiniquim é extremamente abusivo. vale também pensar duas vezes se você re-al-men-te precisa do item. encomendar uma camisetinha gringa de bolinhas vermelho escuro porque no brasil só achou vermelho claro. sério, miga?

05. ofereça o seu cartäo de crédito, ou transferência bancária.
viajar custa dinheiro. e muitas vezes antes da viagem estamos aqui contando moedinha. entäo nem sempre é natural que a pessoa tenha zilhöes de euros no banco pra pagar por suas tralhas. se ofereça pra pagar ANTES de receber a encomenda. e se de fato näo der, näo queira tirar vantagem, deixe de pirangagem e converta direitinho. a pessoa tá te fazendo um favor, né gata, ainda vai querer dar prejuízo?

06. se vocês näo se falam nem uma vez por ano, nem pergunte.
eu sei que no brasil família é um troço importante. mas quando se tem doze tios, vinte e sete primos - boa parte deles se reproduzindo - pai, mäe, irmäo, avó, sobrinho... näo dá pra ser todo mundo importante do mesmo jeito. entäo desculpa, prima, mas nossos laços sanguíneos näo säo mais fortes que o fato de que a gente se fala uma vez por ano. por três minutos. pra tocar o amigo secreto do natal. e o mesmo vale pra aquela amiga que nem pra te dar parabéns no aniversário, mas fica toda-toda quando sabe que você tá chegando. rolou uma identificaçäo? entäo nem pergunte.

07. saiba ouvir 'näo'.
favor é isso. a gente tá PEDINDO alguma coisa pra alguém que näo necessariamente é a madre teresa de calcutá. todo pedido é uma pergunta, e a resposta - por diferentes motivos - também pode ser näo. aprenda a lidar.

as "sacoleiras" do mundo agradecem. ;)

17 comentários:

  1. Estamos indo em março e as ecomendas já começaram a chegar. Eu já deveria ter aprendido, mas esse assunto ainda me deixa #chateada!

    ResponderExcluir
  2. Haha, fantástico! As pessoas realmente nao tem noçao, né?!
    Aproveite bem sua viagem ao Brasil!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e o pior é que as vezes vem de onde você menos espera...

      Excluir
  3. Meu, so mae/pai/irmaos podem pedir coisas... E mesmo assim com altas chances de ouvir um "nao"... Tambem serve pra melhores amigos, mas esses costumam ser educadinhos e seguem tudo que voce citou ai em cima - senao nem seriam melhores amigos, ne?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara, mas até os amigos däo umas fora, viu?!

      Excluir
  4. Nossa como me identifiquei... o povo é sem noção né?! Imagina que a gente fazendo mudança, tendo q escolher o que levar e deixar depois de 4 anos juntando tralha, ainda tinha que ouvir gente pedindo pra levar coisa?!

    ResponderExcluir
  5. Eu não moro fora, mas com viagem falo "não" com certa maestria, viu... E se puder trazer algo pra alguém, é nesse esquema: compre você, com seu cartão, mande entregar pra mim, e se der algum rolo na entrega, se vira nos 30. Não quero encheção! Porque na maior parte das vezes, é coisa que as pessoas não precisam, é maquiagem, shampoo, essas coisas. Me poupe! No dia que me pediram remédio, eu trouxe sem pestanejar. Mas quinquilharia? Bitch please!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gabi, quero ser assim quando eu crescer. mas tô trabalhando nisso

      Excluir
  6. Isso aconteceu comigo antes mesmo de CHEGAR na Europa. Foi só algumas pessoas saberem que eu estava viajando para começarem a sair dos bueiros e lugares mais sombrios da vida social pedindo coisas; e isso mesmo depois de eu avisar que só voltaria dali há um ano. Fizeram suas listas e depois nem pra mandar uma mensagem na noite anterior à viagem, ou qualquer coisa do tipo. Você acha que me dei ao trabalho? Jamais. Comprei coisas pra mim e pra minha família. Comprei um batom pra minha melhor amiga, que foi o que coube na mala (gente, sério, UM ANO! sabe o que acumulei em UM ANO? quase fui obrigada a comprar outra mala só pros casacos de inverno que fui obrigada a comprar pra não morrer congelada).

    Acredita que quando voltei teve gente me cobrando os pedidos?! Teve gente que ficou BRAVA e não fala comigo até hoje. As pessoas são loucas.

    Enfim. Gostei muito do link que você deixou nos comentários sobre o oshibana! É mais uma ideia linda pra testar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk... e o povo ainda se acha no direito de se doer? sério?

      Excluir
  7. Este post informativo é bom demais! Acho que divias escrever um livro com dicas de boa educação :)))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com tanta gente sem noçäo no mundo vai virar best seller ;)

      Excluir
  8. Hahahahaha ameeeeeeeei o post, Ana! E já vou deixar ele bem guardadinho aqui pra quando for ao Brasil já começar a enviar pras pessoas lerem e aprenderem a não ser esse tipo de pessoa! hahaha
    ;)

    ResponderExcluir
  9. mas poxa... a gente se fala duas vezes por ano, vai... hahaha

    ResponderExcluir