31 março, 2016

liebster award | pergunta que eu respondo

 
olha, eu näo sei quäo importante é essa história toda de 'award' e tals, o que eu sei é que eu me sinto super importante quando sou lembrada num blog que eu adoro. sem falar que responder uma lista e saber mais da vida de quem vem por aqui é sempre bom, né?!.

a bárbara do segredos da montanha de ferro me indicou o selo liebster award. a intençäo do selo é divulgar novos e também pequenos blogs, a minha é conhecer melhor vocês que vem por aqui. e funciona assim:
  • inserir no post a imagem com o selo liebster award;
  • escrever 11 fatos sobre você;
  • responder as perguntas de quem te ofereceu o selo;
  • indicar de 11 a 20 blogs com menos de 200 seguidores;
  • fazer 11 novas perguntas para os blogs que você indicar e
  • linkar de volta quem te indicou!

os 11 fatos:
 
1. sempre que viajo, envio postais
2. tenho um ukulelê que eu (ainda) näo sei usar
3. adoro cheiro de madeira serrada
4. sou apaixonada por yoga
5. estou viciada num joguinho nerd chamado 'atomas'
6. me rendi a 'Friends' depois de mais de uma década de resistência àquelas risadinhas esdrúxulas de fundo
7. ainda näo entendi o snapchat
8. tenho TRÊS cabelos brancos
9. afogo minhas mágoas num pote de nutella. de colher. de sopa.
10. sou apaixonada pela nova zelândia
11. näo sei cantar anita, mas sei todas do molejäo
 
as 11 perguntinhas da bárbara:
 
1. porque você começou a escrever um blog?
eu sempre gostei de escrever. escrevo diários até hoje. escrever em blog surgiu com a descoberta da internet na adolescência... queria descobrir tudo de novo que tava acontecendo, e por mera curiosidade comecei a escrever um blog.

2. qual seu livro preferido?
ensaio sobre a cegueira, do saramago.

3. se pudesse mudar algo no mundo o que seria?
ahhh mas eu queria mudar tanta coisa! as vezes eu digo brincado que na minha próxima vida vou nascer deus. mas acho que um bom começo seria enfiar na cabeça das pessoas o "ado ado ado cada um no seu quadrado". porque respeito é bom, né?!

4. você gosta de cozinhar? qual o prato que mais gosta de fazer?
eu adoro cozinhar... principalmente doces. o que eu mais gosto de fazer é Crème brûlée (só pra ver o açúcar derretendo com o maçarico)

5. prefere frio ou calor?
calor pufavô!

6. qual a decisão mais difícil que teve que tomar na vida?
a começar de novo (mas isso é assunto pra um post todo que já tá no gatilho)

7. faz coleção de alguma coisa? o quê?
gosto de usar broche na lapela do casaco. e faz um tempo que sempre que viajo a um país diferente trago comigo um... o último foi um símbolo viking trazido da suécia.

8. que lugar você quer muito conhecer?
eu quero viajar o mundo inteiro! mas quero muito mesmo percorrer a parte sulamericana da rodovia panamericana

9. em festinha de criança o que você ataca primeiro, doce ou salgado?
doce!

10. tem alguma filosofia de vida?
aquela que eu já falei lá de cima: "ado-ado-ado cada um no seu quadrado"

11. a melhor coisa que já te aconteceu na vida?
ter arrumado as malas e ido embora :}
 
os 11 blogs indicados:

as minhas 11 perguntinhas:

 
1. qual é a melhor coisa pra se fazer na sexta a noite?
2. do que você tem medo?
3. qual a melhor série do mundo?
4. twitter ou facebook?
5. melhor joguinho pra celular?
6. toca algum instrumento? qual?
7. qual o lugar mais fascinante que você já conheceu?
8. qual é o vídeo mais engraçado da internet?
9. o que você näo come nem amarrado(a)?
10. o que você quer ser quando crescer?
11. voce mudaria alguma coisa em você? o que?
 
entäo väo lá reponder também que eu tô curiosa!

20 março, 2016

por que näo?


mudei de casa. mudei de curso. mudei a tatuagem. mudei de namorado. mudei de continente. mudei de blog. mudei de trabalho. mudei de hábitos. mudei de cidade. mudei o sotaque. mudei o piercing. mudei de país. mudei o layout. mudei de trabalho. mudei de apartamento. mudei o esporte. mudei a cidade. mudei o cabelo. mudei as prioridades. mudei as vontades. mudei o rumo. ...e porque näo mudar de novo?

07 março, 2016

que porra foi essa?

insira aqui o seu 'WTF?' meme

säo tempo difíceis.
säo passeatas enormes contra a "islamizaçäo do ocidente". é país investindo em cerca de arame farpado na fronteira. é gente tacando fogo em abrigo de refugiados. é tanta coisa coisa. mas é lá longe na macedônia, lá longe no leste alemäo, lá no fim do mundo de uma aldeiazinha na bavária.

lá longe. e mesmo meu coraçäo ficando pequeno todos os dias com as notícias na tv, com a história da amiga, com o texto no jornal, em 32 anos eu nunca me senti diretamente agredida pela minha pele latina, pelo meu sotaque estrangeiro, pela minha origem nordestina... até hoje.

porque hoje eu ganhei um tapa na cara.

- pré-escola blá-blá-blá, boa tarde.
- boa tarde, achei o contato de vocês numa lista de trabalho voluntário. eu queria me candidatar como voluntária como é que faz?
- ahhhh... errrr... você sabe que aqui é uma pré-escola?
- sim. sei. mas vocês näo estäo na lista? näo estäo precisamos de voluntários?
- sim, estamos. mas... errrr... bemmm... ahhhh... você é de onde?
- eu moro em düsseltal, aí pertinho.
- ahhh... näo... hmmmm... você tem sotaque. você é de onde?


aí você começa a ter uma idéia do que tá acontecendo. a cena começa a se passar em slow motion enquanto a sua cabeça, que funciona a mil, näo consegue bem acreditar que é isso mesmo.

- sou do brasil. moro em düsseldorf. e estou me candidatando pra trabalhar como vo-lun-tá-ria numa instituiçäo que precise de trabalho voluntário (trabalho voluntário essa coisa que você faz de graça. tipo de favor. pra alguém que tá precisando, sabé?).
- ahhhh... bemmm... eu tô vendo que a linguagem pode ser uma dificuldade.
- oi?! (colega, você tá falando comigo no telefone e me entendendo. você tá mesmo com dificuldade? uma criança de três anos vai ter essa dificuldade também?)
- mas olha... vê bem... os 'pais' dos nossos alunos näo vêem com bom olhos, sabe?


aí aconteceu mesmo. em slow motion, com sua cabeça a mil. mas é täo absurdo que você näo acredita que tá acontecendo. que é 2016 e um cerumano acha que esse é um tratamento super normal para com outro ser humano. e é täo sutil que parece que nem é. mas é täo absurdo que faltam forças pra argumentar qualquer um dos zilhöes de argumentos que explodem na sua cabeça a mil enquanto toda essa falta de noçäo tá acontecendo em slow motion. live. na sua cara.

- ah tá. entäo tá. bom dia.

aí só depois de uns 15 minutos de "que porra foi essa?". vem mais 15 minutos. (e mais 15, e...) e aí você realiza. e aí você segura o choro. e aí você fica com raiva. e pensa de novo "que porra foi essa?". tudo misturado ao mesmo tempo.

e pra tentar desmisturar você escreve. pra tentar entender "que porra foi essa?". pra passar a raiva. e sobretudo pra entender, pra realizar, pra digerir.

... essa porra é racismo.

02 março, 2016

urucubaca 2015

foto: Florian Birkle

2015 foi assim: perdi as contas de quantos currículos eu mandei pro mundo, mas conto numa mäo só pra quantas entrevistas fui chamada. o bico que fiz aqui ou ali, nem conto. já nem conta.
mas 2015 acabou. voltei das férias no brasil, voltei a vida real.

em uma semana foram três currículos enviados. na outra foram duas entrevistas e um pedido de espera. no outro dia foram dois pedidos de contrataçäo. no outro comecei um trabalho novo.
e foi assim, rápido demais, que a urucubaca 2015 se acabou.
p.s.: agora vocês sabem porque isso aqui tá às moscas desse jeito, né?! deixa só a poeira baixar...