07 março, 2016

que porra foi essa?

insira aqui o seu 'WTF?' meme

säo tempo difíceis.
säo passeatas enormes contra a "islamizaçäo do ocidente". é país investindo em cerca de arame farpado na fronteira. é gente tacando fogo em abrigo de refugiados. é tanta coisa coisa. mas é lá longe na macedônia, lá longe no leste alemäo, lá no fim do mundo de uma aldeiazinha na bavária.

lá longe. e mesmo meu coraçäo ficando pequeno todos os dias com as notícias na tv, com a história da amiga, com o texto no jornal, em 32 anos eu nunca me senti diretamente agredida pela minha pele latina, pelo meu sotaque estrangeiro, pela minha origem nordestina... até hoje.

porque hoje eu ganhei um tapa na cara.

- pré-escola blá-blá-blá, boa tarde.
- boa tarde, achei o contato de vocês numa lista de trabalho voluntário. eu queria me candidatar como voluntária como é que faz?
- ahhhh... errrr... você sabe que aqui é uma pré-escola?
- sim. sei. mas vocês näo estäo na lista? näo estäo precisamos de voluntários?
- sim, estamos. mas... errrr... bemmm... ahhhh... você é de onde?
- eu moro em düsseltal, aí pertinho.
- ahhh... näo... hmmmm... você tem sotaque. você é de onde?


aí você começa a ter uma idéia do que tá acontecendo. a cena começa a se passar em slow motion enquanto a sua cabeça, que funciona a mil, näo consegue bem acreditar que é isso mesmo.

- sou do brasil. moro em düsseldorf. e estou me candidatando pra trabalhar como vo-lun-tá-ria numa instituiçäo que precise de trabalho voluntário (trabalho voluntário essa coisa que você faz de graça. tipo de favor. pra alguém que tá precisando, sabé?).
- ahhhh... bemmm... eu tô vendo que a linguagem pode ser uma dificuldade.
- oi?! (colega, você tá falando comigo no telefone e me entendendo. você tá mesmo com dificuldade? uma criança de três anos vai ter essa dificuldade também?)
- mas olha... vê bem... os 'pais' dos nossos alunos näo vêem com bom olhos, sabe?


aí aconteceu mesmo. em slow motion, com sua cabeça a mil. mas é täo absurdo que você näo acredita que tá acontecendo. que é 2016 e um cerumano acha que esse é um tratamento super normal para com outro ser humano. e é täo sutil que parece que nem é. mas é täo absurdo que faltam forças pra argumentar qualquer um dos zilhöes de argumentos que explodem na sua cabeça a mil enquanto toda essa falta de noçäo tá acontecendo em slow motion. live. na sua cara.

- ah tá. entäo tá. bom dia.

aí só depois de uns 15 minutos de "que porra foi essa?". vem mais 15 minutos. (e mais 15, e...) e aí você realiza. e aí você segura o choro. e aí você fica com raiva. e pensa de novo "que porra foi essa?". tudo misturado ao mesmo tempo.

e pra tentar desmisturar você escreve. pra tentar entender "que porra foi essa?". pra passar a raiva. e sobretudo pra entender, pra realizar, pra digerir.

... essa porra é racismo.

15 comentários:

  1. Puta que pariu.. tem hora que só da pra olhar pro céu e chamar: VEM METEORO!

    Sinto muitissimo que você tenha passado por isso, ainda mais numa situação em que se oferecia para voluntariar. Me ofende como ser humano saber que alguém prefere não ter ajuda do que trabalhar com um imigrante, saber que pais estão segregando as pessoas com quem seus filhos convivem baseado em origem, e não em caráter ou índole. Enfim, que mundo merda, né? Cada vez mais tenho certeza que esse mundo tá uma merda, em todo canto, por diferentes motivos, de um jeito que não vejo muita saída.

    Força aí, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. escrever me fez sentir melhor.
      me fez ver que é só a constataçäo da grande merda que há no mundo. vem mesmo meteoro!

      Excluir
  2. Nao acredito! que filha da putagem!!!! Sinto mto Ana, que merda!!! ;(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. escrotice é isso. mas é bom que cria casca dura pra próxima ;)

      Excluir
  3. tá tenso, borbitcha. tá muito tenso. abraço apertado e bora lutar pra que isso aconteça cada vez menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tenso é mesmo o termo. mas é sacodir a poeira e lutar contra o mundo!

      Excluir
  4. Nao da vontade de falar umas merdas? Tipo: "opaaaa!!! Super entendo! La no meu pais, mesmo, a gente NUNCA ia deixar alemao algum trabalhar em escola de criancinhas... Eh por causa do historico de voces de matar gente, sabe?"

    Eh maldade? Eh!! Eh horrivel? Eh!!! Mas nessas horas de odio eu perco totalmente a minha educacao... hunfs

    Ja passei por coisa assim.. com trabalho voluntario tb... ODIO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkk... cara, queria muito ter a serenidade pra falar umas coisas dessas na hora, sabe?! porque PQP dá muito ódio!

      Excluir
    2. Incrível que isso aconteça em 2016, num país que se diz desenvolvido... Ainda para mais voluntariado???
      Liga pra lá de novo, repete a conversa e no fim dás a resposta da Luana. :)

      Excluir
  5. Não acredito nisso!!!
    Caramba, Ana.. sinto muito por você ter passado por essa situação ridicula. O negocio tá tão absurdo que nem sei nem o que falar, a pessoa prefere não aceitar ajuda do que trabalhar com uma pessoa de outra nacionalidade. E que cabeça de merda tb desses pais de não verem com 'bons olhos'.. que tipo de educação que eles tão dando pros filhos.. e essa escola então? Que absurdo!
    =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o pior é que eu tenho cer-te-za que ela usou os país como desculpa. porque mesmo que rolassem uns pais escrotos desse, é papel dela como educadora ter resposta pra gente racista. e näo disseminar mais racismo no mundo, né?!

      Excluir
  6. R-E-V-O-L-T-A-N-T-E, A-B-S-U-R-D-O, R-I-D-Í-C-U-L-O, simplesmente triste...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. depois da revolta fica mesmo a tristeza. 2016. e esse é o mundo.

      Excluir
  7. Doi tanto quando o racismo (ou xenofobia ou outra palavra parecida) nos toca! um absurdo o que se passou contigo! *ja senti o mesmo algumas vezes desde que vim para aqui* Comecei a ter uma tolerancia bem menor para quem tem discursos racistas encapotados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu sempre senti com os outros. sempre me apertou o coraçäo quando ouvia alguém passar por uma coisa assim. mas sim, você tem razäo, depois que a gente sente na própria pela se fica mais sensível... e o nível de tolerância vai mesmo pras cucuias

      Excluir