17 outubro, 2016

incondicionalmente

luna

se tem uma coisa que luna me mostrou é que se pode amar incondicionalmente. independente de 'se', de 'quando', de 'apesar de'... amor e ponto.
e é por isso que eu sou muito grata de ter tido essa cachorrinha na minha vida. sou muito grata por quanto ela mudou a casa, mudou a gente. sou muito grata pelas lambidas de bom dia e pelo barulho de boas vindas. sou muito grata pelo consolo em forma de pelúcia. sou muito grata por todo amor. e sou muito grata por ela ter esperado, pra depois de tantos anos, se despedir de mim.

p.s.: precisei de bastante tempo pra 'escrever' adeus. luna morreu aos 14 anos no último dia do ano passado. näo foi fácil. nunca é fácil quando se ama. incondicionalmente.

4 comentários:

  1. Ana... Não é fácil não.

    Eu também tive uma branquinha assim, pequenina e com pêlo "de algodão". Esteve na nossa família 15 anos e deu-me muito mais do que aquilo que consigo explicar. Foi-se embora há quase dois anos e ainda hoje é difícil acreditar que ela nos deixou.

    Você tem razão, o amor incondicional existe sim.

    Um abraço grande e que as memórias desse amor tragam felicidade a você nos piores momentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esses bichinhos só deixam coisas boas, né?! mas fica a saudade... é mesmo difícil pensar que ela näo vai mais estar lá.

      Excluir
  2. </3 Meus sentimentos, Ana. Eu imagino a saudade, a dor, de saber que ela não está mais lá. E de fato, não há nada mais bonito que o amor incondicional e desinteressado de um cão. Por isso que é meu grande sonho ter um!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pouco antes de luna morrer a idéia era adotar um cachorrinho esse ano. acabei adiando. mas a verdade é que tô doida pra adotar outro peludo... problema agora é o trabalho :/

      Excluir