11 setembro, 2018

um post sobre política pra espantar o resto dos leitores que ainda aparecem por aqui



minha situação política pra esse ano foi claramente definida por djavan em 1975:
"no fundo eu julgo o mundo um fato consumado e vou-me embora"
não sou coxinha, petralha, nem mesmo insentona. tenho minhas opiniões comunistinhas, mas é que...
"não quero mais de mais a mais me aprofundar nessa história. arreio os meus anseios perco o veio e vivo de memória"
o brasil tá bem puxado e eu só
"eu quero é viver em paz"
então estarei conscientemente me alienando nessas eleições. esse ano num tem debate, nem notícia, nem link, nem...
"por favor me beija a boca
Que louca, que louca!"
me julguem.

p.s.: o rascunho desse post foi escrito antes do fogo no museu. ou seja. diante da atualidade da coisa, o disco arranhou no "que louca, que louca" (porque nem pra viver de memória tá dando)

04 setembro, 2018

oh canadá!

(pra ler ouvindo: the sheepdogs - up in canada)

vamos começar esse texto deixando umas coisas claras: vi a paisagem mais incrível do mundo. chorei pela primeira vez na vida porque uma viagem chegava ao fim. e näo tô sabendo lidar com a realidade.

dito isso começo do começo:

foram três semanas pelos parques nacionais entre Alberta e British Columbia no sudoeste do canadá. saímos de düsseldorf com escala em londres até calgary, onde passamos a primeira e as duas últimas noites. e no meio disso a barraca de camping virou casa, e o carro - alugado - era o meio de transporte do começo de uma trilha a outra. 

foi uma das melhores viagens da minha vida  (e só näo digo melhor porque há um empate técnico com a road trip de 2013 na nova zelândia) e é claro que não caberia num texto só. fica aqui entäo um gostinho fotográfico das três semanas. e a promessa de voltar pra contar mais um pouquinho... aos pouquinhos.   

1. the sheepdogs, em Banff. o alemäo fez anivérsário no segundo dia da viagem. e como eu näo queria levar um presente na mala, decidi dar de presente tickets pro show de uma banda canadense... até entäo por nós desconhecida. um tiro no escuro, né?! o show foi massa, passamos três semanas ouvindo the sheepdogs na estrada e trouxemos um LP pra casa. que tiro maravilhoso.


2. Mt. Assiniboine. nosso mergulho na natureza intocada: três dias e mais de 50km de trilha. e primeira trilha é lindo e complicado: um misto de deslumbramento e dor nos pés de querer morrer. mas no final foi täo bom que a idéia de fazer uma trilha longa só foi trocada por "quero mais".


3. plain of the six glaciers. um day hike pela regiäo do ponto turístico mais famoso (e mais lotado) dos parques nacionais: o lake louise. uma trilha curta mas com paisagens täo variadas que valeu a pena enfrentar a multidäo.


4. emerald lake. depois de dias de trilhas em terreno montanhoso, um passeinho às margens do lago pra näo ficar completamente fora de forma. o passeio acabou com uma tempestade e a certeza de que um urso estava nos perseguindo na floresta. (näo vi nada, mas...)


5. skyline trail. a trilha mais famosa das rocky mountains e que a gente já tinha desistido de fazer por sermos inciciantes no quesito canadá e näo termos reservado com antecedência. mas num jeitinho de última hora conseguimos vagas nos acampamentos e conseguimos, em três dias, fazer boa parte da trilha.


6. berg lake trail. onde eu perdi perdidamente meu coraçäo. a trilha nem tava na lista quando chegamos ao canadá. mas em todos os lugares que chegamos todos os nativos recomendavam esse lugar... que obviamente näo tinha mais vagas. mas num segundo jeitinho de última hora conseguimos näo apenas vaga pra fazer a trilha, como vaga nO acampamento mais cotado do lugar. e foram três dias da trilha mais incrível que já fiz na vida. já falei que perdi perdidamente meu coraçäo?

7. athabasca valley. um bike tour ao redor de Jasper pra descansar as pernas.


8. old fort poind looping. uma trilha rapidinha saindo da vila até um mirante. um esquenta bom antes de pular num lago (de água gelada).

9. icefields parkway. os quase 300km de estrada que ligam Jasper a Banff säo espetaculosos. dá pra parar a cada cinco minutos pra admirar a paisagem ou dar uma andadinha em várias trilhas. nesse ponto da viagem meu joelho decidiu dar sinais de "näo estamos felizes". o que rendeu a primeira choradinha (penúltimo dia no parque nacional e eu queria fazer tudo o que desse pra fazer antes de ir embora). engoli o choro e trocamos a trilha pela visita a uma geleira. pelo que vocês podem ver, näo precisava ter chorado, né?!

10. johnston canyon and the inkpots. a última trilha (emoji de desespero). meu joelho continuava lá dando os mesmos sinais, mas depois de vários remedinhos pra dor e de mais uma choradinha, eu fui, né?! precisava me despedir. (preciso dizer que a despedida foi fail porque faz mais de uma semana que voltei e continuo sem saber lidar)


e foi assim. a viagem mais incrível.
(engole o choro, ana)
e tem um pouquinho mais aqui no álbum.