03 dezembro, 2018

calendário do advento - versäo: ficar bem



só vim aqui rapidinho pra dar uma dica pra você, que assim como eu, adora um calendário do advento (falei deles aqui, aqui, aqui e aqui), mas ficou sem esse ano por questöes de prioridades. 

o "the mindfulness" é um app com meditaçöes guiadas que eu tenho usado há um tempinho. e näo é que eles tem calendário do advento?! cada dia uma pequena meditaçäo e um tema diferente. 
bora näo pirar junto até o natal!?

01 dezembro, 2018

dezembro


vai ter foto de celular com qualidade cagada, sim.

é oficial: já dá pra ver a linha de chegada.
mas até lá, amiguinhos, ainda vou ter que somar todo o cansaço e o peso do que passou, respirar fundo, juntar o que ainda há de forças e escalar os últimos metros - porque é claro que é ladeira acima e näo um tapete de flores, näo é mesmo?!
a prioridade tem sido saúde mental e pra isso vale a lei do menor esforço: somente o necessário - o motivo do abandono aqui.

e se até o dia 14 eu sobreviver, arrumo as malas pra um respiro - se é que tá dando pra respirar nesses tempos no brasil.

02 novembro, 2018

cosméticos naturais: meu top 5

da esquerda pra direita: óleo de argan, shampoo e condicionador, tônico facial, creme pras mãos e desodorante creme.


de uns tempos pra cá - no meio daquela estória de mudar uns hábitos de consumo - tenho tentado usar mais cosméticos naturais. e uma coisa importante que eu descobri nesse mercado é que natural nem sempre é natural. de olho nas vendas, muitas marcas se apresentam como naturais quando na verdade só uma pequena parcela dos ingredientes realmente são. além disso ainda fazem uso de componentes nocivos como microplástico, óleo de palma, parabenos, silicone, e outras substâncias que agridem não só a gente como o meio ambiente. e pra não levar gato por lebre pra casa, aprendi a buscar pelo selo da natrue e de ter sempre em mãos o codecheck. ainda ando em fase de testes, mas já descobri uns queridinhos - todos organicos e veganos - que não saem mais da minha lista de compras.

creme intensivo para as mãos, da alverde. a alverde é a marca verde da DM, uma das maiores drogarias alemãs. uso vários produtos da marca já que o custo benefício é sensacional. o creme pras mãos de romã e manteiga de carité é pra peles muito secas que, como a minha, sofrem nesse tempo frio e seco. o creme hidrata bem, não deixa as mãos oleosas e previne rachaduras nas áreas mais secas. näo passo o inverno sem.

shampoo e condicionador hidratante de romã e aloe vera, da alterra. a alterra é a marca verde da rossmann, outra drogaria alemã. como eu costumo comprar na DM, a alterra acaba sendo minha segunda alternativa pra produtos naturais. e foi o que aconteceu com o shampoo e o condicionador. depois de experimentar alguns da concorrente (e não gostar. fica a dica), resolvi testar essa linha pra cabelos secos e danificados da alterra e adorei o resultado: cabelo limpo e bem hidratado por um precinho muy amigo.

tônico facial cactus, da hej organic. a hej foi muita sorte. peguei o tônico por puro acaso numa prateleira cheia... e adorei de primeira. ele limpa profundamente sem ressecar a pele, dá uma sensação refrescante, e tem um cheirinho maravilhoso. e já que näo é tão ácido quanto os tônicos com efeito AHA é ideal pra usar durante o dia.

desodorante creme, da greendoor. foi o cosmético que tive mais dificuldade pra substituir. experimentei várias marcas, mas nenhuma era realmente compátivel com meu dia-a-dia ativo - uso a bicicleta como meio de transporte e passo o dia todo pra lá e pra cá na pré-escola. em bom português: ou passava o dia passando desodorante ou passava o dia fedendo. o que não acontece com o creme da greendoor. ele tem o cheirinho bem leve, hidrata, rende um bocado, tem efeito duradouro e embora não seja anti-transpirante, não deixa cheiro.

óleo de argan, da The Ordinary. eu sou apaixonada por essa marca canadense (embora nem todos os produtos sejam naturais). uso vários produtinhos pro rosto e recentemente descobri esse óleo pro cabelo. ele hidrata bem, dá brilho e dá um jeito nos cachos. e como a hidrataçäo é poderosa, basta umas poucas gotinhas pra não deixar o cabelo sem volume ou oleoso demais.

e eu já tô aqui pensando na próxima listinha. mas também doida pra continuar testando coisas novas. alguma dica pra mim?

29 outubro, 2018

näo solta


hoje näo dá pra falar de ameninades.

a gente perdeu. e näo foi uma eleiçäo.
a gente perdeu umas pessoas no caminho.
a gente perdeu a admiraçäo por outras que näo dá pra deixar.
a gente arrancou as raízes.

e de quem ficou. a gente segura a mäo. que é pra näo se perder.

25 outubro, 2018

oh Canada! #2

eu falei que voltava pra contar mais estória.
e eu conto... com um videozinho tosco feito com amor.
olha aí:

08 outubro, 2018

bodas de açúcar


há seis anos que a vida da gente é ainda mais doce
... e só fica melhor.

{a foto da foto da foto em flash back: 5, 4, 3, 2 e 1...}

05 outubro, 2018

myweek(end) 15 - plot twist

quem diria que depois do último post ia rolar esse plot twist carpado e eu näo apenas gastaria meu sábado de sol metida em politicagens, como também viria aqui pra contar estória? porque no mundo inteiro a gente saiu na rua a favor da democracia e dos direitos humanos (contra o coiso, minha gente).

o fato é que a gente tá täo na merda, amigos tupiniquins, que a questäo näo é nem mais política, é humanitária. 

mas assim... vou fazer textäo, näo. só vou deixar umas fotinhos do sábado aqui e voltar pro djavan.

#1: mäos à obra!
#2: Ponto de enconto: Monumento da menina Ehra, uma criança Sinti sobrevivente a um campo de concentraçäo. qualquer paralelo com o protesto contra o nosso "hitlerzinho tropical" näo é mera coincidencia.
    
#elenemfudendo
#4: Reno, Düsseldorf, Alemanha.

entäo, amiguinhos, se joguem na festa da democracia nesse domingo, votem em quem quiserem... mas n' #elenão !

11 setembro, 2018

um post sobre política pra espantar o resto dos leitores que ainda aparecem por aqui



minha situação política pra esse ano foi claramente definida por djavan em 1975:
"no fundo eu julgo o mundo um fato consumado e vou-me embora"
não sou coxinha, petralha, nem mesmo insentona. tenho minhas opiniões comunistinhas, mas é que...
"não quero mais de mais a mais me aprofundar nessa história. arreio os meus anseios perco o veio e vivo de memória"
o brasil tá bem puxado e eu só
"eu quero é viver em paz"
então estarei conscientemente me alienando nessas eleições. esse ano num tem debate, nem notícia, nem link, nem...
"por favor me beija a boca
Que louca, que louca!"
me julguem.

p.s.: o rascunho desse post foi escrito antes do fogo no museu. ou seja. diante da atualidade da coisa, o disco arranhou no "que louca, que louca" (porque nem pra viver de memória tá dando)

04 setembro, 2018

oh canadá!

(pra ler ouvindo: the sheepdogs - up in canada)

vamos começar esse texto deixando umas coisas claras: vi a paisagem mais incrível do mundo. chorei pela primeira vez na vida porque uma viagem chegava ao fim. e näo tô sabendo lidar com a realidade.

dito isso começo do começo:

foram três semanas pelos parques nacionais entre Alberta e British Columbia no sudoeste do canadá. saímos de düsseldorf com escala em londres até calgary, onde passamos a primeira e as duas últimas noites. e no meio disso a barraca de camping virou casa, e o carro - alugado - era o meio de transporte do começo de uma trilha a outra. 

foi uma das melhores viagens da minha vida  (e só näo digo melhor porque há um empate técnico com a road trip de 2013 na nova zelândia) e é claro que não caberia num texto só. fica aqui entäo um gostinho fotográfico das três semanas. e a promessa de voltar pra contar mais um pouquinho... aos pouquinhos.   

1. the sheepdogs, em Banff. o alemäo fez anivérsário no segundo dia da viagem. e como eu näo queria levar um presente na mala, decidi dar de presente tickets pro show de uma banda canadense... até entäo por nós desconhecida. um tiro no escuro, né?! o show foi massa, passamos três semanas ouvindo the sheepdogs na estrada e trouxemos um LP pra casa. que tiro maravilhoso.


2. Mt. Assiniboine. nosso mergulho na natureza intocada: três dias e mais de 50km de trilha. e primeira trilha é lindo e complicado: um misto de deslumbramento e dor nos pés de querer morrer. mas no final foi täo bom que a idéia de fazer uma trilha longa só foi trocada por "quero mais".


3. plain of the six glaciers. um day hike pela regiäo do ponto turístico mais famoso (e mais lotado) dos parques nacionais: o lake louise. uma trilha curta mas com paisagens täo variadas que valeu a pena enfrentar a multidäo.


4. emerald lake. depois de dias de trilhas em terreno montanhoso, um passeinho às margens do lago pra näo ficar completamente fora de forma. o passeio acabou com uma tempestade e a certeza de que um urso estava nos perseguindo na floresta. (näo vi nada, mas...)


5. skyline trail. a trilha mais famosa das rocky mountains e que a gente já tinha desistido de fazer por sermos inciciantes no quesito canadá e näo termos reservado com antecedência. mas num jeitinho de última hora conseguimos vagas nos acampamentos e conseguimos, em três dias, fazer boa parte da trilha.


6. berg lake trail. onde eu perdi perdidamente meu coraçäo. a trilha nem tava na lista quando chegamos ao canadá. mas em todos os lugares que chegamos todos os nativos recomendavam esse lugar... que obviamente näo tinha mais vagas. mas num segundo jeitinho de última hora conseguimos näo apenas vaga pra fazer a trilha, como vaga nO acampamento mais cotado do lugar. e foram três dias da trilha mais incrível que já fiz na vida. já falei que perdi perdidamente meu coraçäo?

7. athabasca valley. um bike tour ao redor de Jasper pra descansar as pernas.


8. old fort poind looping. uma trilha rapidinha saindo da vila até um mirante. um esquenta bom antes de pular num lago (de água gelada).

9. icefields parkway. os quase 300km de estrada que ligam Jasper a Banff säo espetaculosos. dá pra parar a cada cinco minutos pra admirar a paisagem ou dar uma andadinha em várias trilhas. nesse ponto da viagem meu joelho decidiu dar sinais de "näo estamos felizes". o que rendeu a primeira choradinha (penúltimo dia no parque nacional e eu queria fazer tudo o que desse pra fazer antes de ir embora). engoli o choro e trocamos a trilha pela visita a uma geleira. pelo que vocês podem ver, näo precisava ter chorado, né?!

10. johnston canyon and the inkpots. a última trilha (emoji de desespero). meu joelho continuava lá dando os mesmos sinais, mas depois de vários remedinhos pra dor e de mais uma choradinha, eu fui, né?! precisava me despedir. (preciso dizer que a despedida foi fail porque faz mais de uma semana que voltei e continuo sem saber lidar)


e foi assim. a viagem mais incrível.
(engole o choro, ana)
e tem um pouquinho mais aqui no álbum.

30 agosto, 2018

is this real life?

voltei.
estou a lavar roupas, limpar as botas de caminhada, guardar as coisas no lugar, arrumar fotos... e a lutar com um Jetlag histórico. malabarizando tudo com o trabalho e o curso.
já volto.

03 agosto, 2018

este blog está de férias


Update: foto bonitona no google


(aqui deveria ter uma foto toda bonitona, mas o app do blogger num tá ajudando)
post escrito no celular no gate A77.
o voo - já atrasado - faz escala em Londres e depois vai até Calgary, Canadá.
a expectativa é acampar, ver um urso, passar frio, ver renas, subir montanhas, ver marmotas, pegar um solzinho no lago.
se o urso não me comer, volto pra contar história.

27 julho, 2018

entäo que esse é o post da tia chata falando de sustentabilidade



de uns anos pra cá tenho tentado ser mais saudável e consumir de uma forma mais consciente. tenho comprado menos e prestado mais atençäo no conteúdo do que compro. e o que parece uma coisa simples, se mostrou uma tarefa difícil.

os rótulos dizem muito, mas na verdade muito pouco sobre o conteúdo. e foi aí que descobri o codecheck e virei a tia louca dos códigos de barras. o app mostra a composiçäo exata de alimentos e cosméticos, explica o que é cada ingrediente e, o mais legal, alerta sobre a presença de alergenos, microplástico, óleo de palma, hormônios e outro mol de coisas que agridem a gente ou o planeta.



e o motivo do textäo?
baixe o app. ou näo. (num tô ganhando dinheiro mesmo com o merchand) mas saiba o que você está consumindo!

näo precisa virar a tia chata da sustentabilidade - basta eu, mas acredito que a clareza de SABER o que se consome é fundamental pra que nossas escolhas sejam mais conscientes.

... e se já é também uma tia chata, me dê também umas dicas. 


23 julho, 2018

1+3 | um objetivo que já está a ser cumprido: um ano de volta às aulas (um balanço)



o tema do desafio veio bem a calhar: terminei meu primeiro ano de formaçäo profisional dual. finalmente férias! e se esse ano passou voando, também se arrastou um bocado.

conheci gente nova e diferente. tenho aprendido muito sobre pedagogia, psicologia e sociologia -  coisas que me fascinam. posso consolidar o que aprendo na prática. e no final, me saí melhor do que imaginei.

por outro lado tenho um dia-a-dia desgastante: consciliar trabalho e estudo tem sido puxado, principalmente no fim do ano letivo. já que a escola é técnica e focada na prática, a teoria às vezes fica superficial - e eu que näo me contento com prato raso, preciso fazer 'hora extra' pro aprofundamento. e pra mim o pior, a estrutura é extremamente escolar.

botando na balança, me aborreci um bocado. sobretudo com a estrutura. näo esperava um sistema escolar täo inflexível e cheio de restriçöes no campo de educaçäo pra adultos. foi o que mais me estressou esse ano e o que me fez mais repensar minha decisäo.

o saldo é que estou feliz por ter decidido trabalhar com educaçäo infantil, mas vou ter que segurar bastante as pontas nos próximos dois anos. me aguentem.